sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Pausa para o Natal e o Ano Novo

Amigos,

Nesta época do ano as coisas acontecem de forma mais devagar ou até mesmo não acontecem, como vemos presenciando neste blog que sequer tem dado qualquer notícia nos últimos dois dias. Portanto, me resta desejar a todos um feliz e abençoado Natal, para que o nascimento de Cristo seja o símbolo de uma verdadeira espada, que possamos no próximo ano aplicar na política, em nome d'Ele.

Um abraço a todos!

Bruno de Castro.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Espanha: beatificados 23 mártires da guerra civil

Assassinados em 1936, "vítimas do ódio pela fé"
MADRI, segunda-feira, 19 de dezembro de 2011 (ZENIT.org) - Durante missa solene celebrada na catedral de Santa María La Real de La Almudena, no coração de Madri, foram anunciados ontem 23 novos beatos, todos mártires mortos pela milícia durante a Guerra Civil (1936-1939) "como vítimas do ódio pela fé". O ato foi presidido pelo cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, que representou o papa Bento XVI.
As 23 vítimas do ódio anticlerical e antirreligioso foram Francisco Esteban Lacalendola e outros 21 membros da congregação dos Missionários Oblatos de Maria Imaculada, além de um leigo, Cándido Castán San José, pai de família. A cerimônia contou com a presença do superior geral dos Oblatos, membros da congregação, o arcebispo de Madri, cardeal Antonio María Rouco Varela, e bispos de vários países, entre os quais Espanha, Paraguai e Estados Unidos. Neste ano, justamente, celebra-se o 150º aniversário da morte do fundador da congregação, Charles-Joseph-Eugene de Mazenod (1782-1861), canonizado por João Paulo II em 3 de dezembro de 1995.
As raízes da perseguição de 1936 vêm da primeira metade do anos 1800. Em 1836, o então presidente do governo espanhol, Juan de Dios Alvarez Mendizábal, proclamou os decretos de desamortización, que confiscavam todos os imóveis considerados "improdutivos",inclusive propriedades da Igreja.
Depois da queda da monarquia espanhola, em 1931, e da vitória da Frente Popular nas eleições de 1936, o anticlericalismo virou perseguição aberta contra os membros da Igreja, com prisões e execuções sumárias do clero, de religiosos e de fiéis. Os eventos obrigaram o papa Pio XI (1857-1939) a usar em setembro do mesmo ano a palavra "martírio" num discurso a um grupo de refugiados espanhóis.
Particularmente mal visto pela Frente Popular era o trabalho pastoral dos Missionários Oblatos. Após ameaças feitas em 1931 e 1934 contra a congregação, as pressões contra os frades culminaram em 22 de julho de 1936 num ataque de uma milícia armada contra a casa dos Oblatos em Pozuelo de Alarcón, a oeste de Madri, que acabou com a prisão de 38 pessoas. Oito delas, sendo sete frades e o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Católicos, Cándido Castán San José, foram baleadas em um parque na madrugada de 24 de julho, sem qualquer explicação nem julgamento.
Os outros foram libertados em 25 de julho, mas presos novamente em outubro e levados para o Cárcere Modelo, de Madri, onde sofreram graves maus-tratos. Dois frades foram mortos em 7 de novembro e treze outros em 28 do mesmo mês, em Paracuellos de Jarama, a nordeste da capital. Durante a execução, conforme depoimentos coletados pelo Postulador Geral da Causa de Beatificação, Pe. Joaquín Martínez Vega, OMI, ouviram-se palavras de perdão e a exclamação "Viva Cristo Rei!".
Seu martírio (da palavra grega "testemunho"), compromisso missionário e perseverança na fé "usque ad sanguinem" foram oficialmente reconhecidos pela Igreja num decreto assinado pelo Santo Padre em 2 de abril deste ano.
O cardeal Amato ressaltou: "Eles não tinha feito nada de errado. Seu desejo era só fazer o bem a todos e anunciar o Evangelho de Jesus, que é uma boa notícia de paz, de alegria e fraternidade" (Rádio Vaticano, 17 de dezembro).
Durante a celebração, o cardeal recordou também que "os mártires de todos os tempos são testemunhas preciosas da boa existência humana, que responde à brutalidade dos perseguidores e dos carrascos com a delicadeza e a coragem dos homens fortes. Sem armas e com o poder irresistível da fé em Deus, eles venceram o mal, deixando para todos nós uma herança preciosa de bem". "Os carrascos são esquecidos, mas suas vítimas inocentes são lembradas e celebradas".
Seu testemunho de fé nos deixa uma lição valiosa. "A história, infelizmente, mostra que quando o homem arranca da consciência os mandamentos de Deus, ele também rasga do coração as fibras do bem, chegando a cometer atos monstruosos. Perdendo Deus, o homem perde a sua humanidade", disse o cardeal, cujas palavras ecoam as de Bento XVI, ditas na semana passada.
O papa tinha afirmado na última quinta-feira, durante as Vésperas com universitários na Basílica do Vaticano: "Quantas vezes os homens tentaram construir o mundo sozinhos, sem ou contra Deus! O resultado é marcado pela tragédia das ideologias, que, no fim, se mostraram contra o homem e contra a sua profunda dignidade".
O pontífice saudou com alegria a beatificação dos mártires espanhóis no final do ângelus deste domingo: "A alegria pela sua beatificação se une à esperança de que o seu sacrifício ainda dê muitos frutos de conversão e de reconciliação".
Com dados do SeDoc - Serviço de Documentação da Rádio Vaticano

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Perfil do povo brasileiro pós-Lula e PT

.Foi assim que o PT destruiu este país.

Eleitor brasileiro é conservador

Clipping Cesar Maia:

Pesquisa nacional GPP com 2 mil entrevistas entre 20 e 21 de agosto. A metodologia aplicada acompanhou a da IPSOS-Nouvel Observateur de 2007. Foi testada em junho de 2007 e os resultados aqui no Brasil foram semelhantes. Agora, em agosto 2011, foi repetida. O método objetiva identificar o "partido político" de preferência do eleitor. Para isso, se realiza uma série de perguntas sobre valores (conservadores e liberais) e sobre economia (estado e mercado).

O resultado continua confirmando. O "partido político" do eleitor brasileiro defende valores conservadores e quer um estado intervencionista na economia. Seria uma espécie de partido de direita/esquerda ao mesmo tempo. Resultados a seguir. 
Os valores conservadores continuam tendo amplo apoio da população. 90% são a favor da redução da idade penal para 16 anos \ 79,7% querem aula de religião nas escolas \ 77,2% são contra a legalização do aborto \ 81,4% são contra a liberação da maconha \ No caso do casamento entre pessoas do mesmo sexo as respostas favoráveis cresceram de 2007 para cá. A favor 41,6% \ Contra 51,2%.

Eleitor é estatizante. Maior intervenção do Estado na economia: a favor 51,8% e contra 29,8% \ Voltar a estatizar a Vale e as empresas de Telecomunicações: a favor 45,2%, e contra 39,2% \ O governo deve intervir o menos possível na sociedade: a favor 40,1% e contra 45,9% \ Privatizar mais empresas públicas: contra 48,7% e a favor 37,1 \ Diminuir a participação do governo nas empresas: a favor 40,1% e contra 45,9%.

Quanto a Imprensa, o eleitor é contra controle do governo. Governo controlar a Imprensa: a favor 20,2% e contra 70,6% \ Liberdade total de Imprensa: a favor 69,5% e contra 22,4%.

.O brasileiro é conservador e nosso governo é progressista/marxista, como isso aconteceu? Tendo as instituições conservadoras, como a Igreja, permitindo que o PT penetrasse dentro de si e tomasse o voto de seus membros.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Conferência Nacional LGBT inicia exigindo kit gay para crianças nas escolas

Clipping Julio Severo:

Com o patrocínio do governo federal, a II Conferência Nacional LGBT começou em 15 de dezembro, em Brasília. As passagens áreas e estadia de hotel foram pagas pelo governo de Dilma Rousseff.
A abertura foi feita pela ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário; o assessor especial da presidente Dilma Rousseff, Gilberto Carvalho; o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ); Ramais de Castro, do Conselho Nacional LGBT; a ativista lésbica Irina bacci; a ministra da Igualdade Racial, Luiza Barros; a ativista trans Giovana Baby; a desembargadora aposentada, Maria Berenice Dias e Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT).
Maria do Rosário estava emocionada. Ela mal havia acabado de comemorar a vitória do governo na aprovação do projeto de lei que criminaliza o direito dos pais aplicarem castigos físicos — criminalização que era um sonho antigo dela. Com o governo agora avançando para um controle maior sobre as famílias e crianças, chegou a vez de lidar novamente com o kit gay.
Rosário afirmou o compromisso do governo federal em erradicar “discriminações”, reforçando que nos espaços do governo, inclusive escolas públicas, “não há, não deve haver e nem será aceita nenhum tipo de discriminação, nos seus programas e nas ações que seus ministros desenvolvam”. Se há nas escolas ensino de família com pai e mãe, deverá haver também com as novas formas de família, inclusive de duplas homossexuais. Se há ensino de que o sexo homem/mulher é natural, a homossexualidade deverá também ser apresentada como natural. Menos que isso seria, no entendimento dela, preconceito e violência.
Em concordância com os desejos de Rosário, os ativistas gays aproveitaram para reivindicar da presidente Dilma o fim do veto dela ao kit gay. “Ô Dilma, que papelão, não se governa com religião”, gritaram os ativistas. Em outra frase os ativistas gays diziam que a presidente “Dilma pisou na bola e a homofobia continua na escola”. E todo o resto da abertura foi marcado por fortes protestos dos palestrantes para que o governo intervenha diretamente para que as crianças das escolas recebam ensinos homossexuais.
Em suas reivindicações, os militantes argumentaram que sendo pagadores de impostos, eles têm o direito de exigir que o dinheiro deles também seja usado para levar educação pró-homossexualismo nas escolas.
Em diversos momentos, os participantes chamaram pelo nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para eles, Lula jamais teria vetado o kit gay.
Toni Reis, presidente da ABGLT, lembrou a presidente Dilma Rousseff que muitos homossexuais votaram nela. “Presidente, muitos LGBT votaram na senhora... Dilma, você disse que não ia permitir nenhum retrocesso em seu governo, então, nós queremos a liberação imediata do Kit Escola Sem Homofobia e não vamos tolerar que os evangélicos ditem as políticas", declarou Toni Reis. O Kit Escola Sem Homofobia é o nome oficial do kit gay.
A II Conferência Nacional LGBT continua até o próximo domingo (18), onde ativistas do Brasil inteiro vão elaborar um novo plano de combate à “homofobia” e promoção homossexual em nível nacional, com o total apoio do governo de Dilma Rousseff.

.Novamente, após novas mentiras de gayzistas, o Kit Gay é pauta dos LGBT. Novamente, eles disseram que o Dep. Jair Bolsonaro estava mentindo. E, novamente, vamos ter de batalhar, provavelmente sem forças (pois estamos falando do governo) contra esse maldito kit pornográfico e promotor do homossexualismo, que querem dar às crianças de nossas sociedades.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Artigo: Para saberem quem é que manda, por Percival Puggina

A Lei da Palmada é produto do politicamente correto, que tem por objetivo submeter liberdade e consenso às rédeas de dissensos minoritários. E é mais uma intromissão do Estado na vida privada. Bastaria isso para determinar sua rejeição. Mas ela passou na Câmara dos Deputados e segue a toque de caixa para o Senado. A pedagogia do politicamente correto está produzindo alunos que batem nos professores, mas está convencida de que falta um pouco mais do mesmo. Vale dizer, ainda menos disciplina para ainda mais porrada e bullying.
Tudo isso é certo e sabido. Mas o que não se diz é que a Lei da Palmada é irmã da Lei do Desarmamento, do PNDH-3, do vestibular do ENEM, da Lei de Quotas Raciais, do perfil que deram ao STF, da Lei da Homofobia, do marco regulatório da imprensa e por aí vai. Ou seja, não se diz, ou pouco se diz, que há uma ideologia soprando essa praga sobre as famílias brasileiras assim como o vento espalha fungos nas lavouras. É a ideologia do totalitarismo, que implica um Estado com o monopólio da força e com amplas funções modeladoras em relação às instituições da sociedade, entre elas a instituição familiar (quando deveriam ser estas a orientar e domar o Estado!). Recentemente, em programa de tevê, uma pedagoga integrante do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente pregava: "O Estado tem o dever de educar a sociedade para novos padrões de conduta". Ela estava convencida, por essa ideologia maldita, que é obrigação do Estado comandar o leitor destas linhas não apenas sobre coisas como declarar sua renda ou se comportar no trânsito, mas sobre como educar seus filhos. O melhor castigo, dizia um psicólogo que aplaudia a aprovação da lei na Câmara dos Deputados, é substituir uma atividade prazerosa da criança por outra menos prazerosa. Punição, como tal, nunca papai. Nunca mamãe. E depois, bem feito: aguentem os malfeitos que virão.
Os corretos limites do uso da força já estão dados tanto no Código Civil (perdem o pátrio poder os pais que castigarem imoderadamente os filhos), no Código Penal (punições para casos graves de violência contra crianças e adolescentes) e no ECA (idem). Não era necessária qualquer legislação especial. A estratégia adotada para aprovação da lei na Câmara consistiu em levar o debate como se houvesse dois blocos: os contra a palmada e os a favor da palmada. Haverá alguém a favor da palmada? Alguém é a favor da quimioterapia? No entanto, há situações concretas no ambiente familiar que se resolvem com a simples possibilidade da aplicação de uma palmada.
Transformá-la em tema de lei federal, objeto de delação, é completa demasia que nasce, forçosamente, de uma visão totalitária de Estado. Não hesito em afirmar que prejudiciais, mesmo, ao desenvolvimento saudável das crianças são outras coisas muito frequentes na sociedade. A saber: 1) a educação permissiva, que não estabelece limites e franqueia acesso aos vícios socialmente tolerados e não tolerados; 2) a indiferença dos pais em relação ao que fazem os filhos e ao seu preparo para a aventura de viver; e 3) a violência verbal, que faz decair o mútuo respeito e a autoridade paterna.
A afirmação de que a palmada introduz a violência na instituição familiar é cristalinamente falsa. A violência entra em casa pela janela, pela porta da rua, pela antena da tevê, pelo bar da esquina e pelo beco onde se aloja o traficante. Ante elas, a eventual palmadinha educativa é o que de fato significa: sinal de amor que educa. Ao contrário do que pensam a deputada Maria do Rosário e seus colegas que aprovaram o projeto, essa lei não coibirá a violência contra as crianças. Se os três instrumentos já existentes (Código Civil, Código Penal e ECA) não conseguiram coibir os maus tratos dentro de casa, não contiveram os pais abusadores e violentos, não será uma lei que proíbe a palmada aplicada pelos pais amorosos e responsáveis que vai produzir isso. O que ela fará é ensinar às crianças (até porque prevê aulas de esclarecimento nas escolas) que é o Estado quem manda naquele pedaço que elas chamam de minha casa, meu barraco, meu apê, minha família.

Pastoral da Criança satisfeita com aprovação na Câmara da "Lei da Palmada"

leidapalmada.png

Clipping Rádio Vaticano:

Brasília (RV) - A Comissão Especial da Câmara Federal aprovou na quarta-feira, 14, o Projeto de Lei (7672/10) que pune os pais que batem nos filhos e proíbe os castigos físicos contra crianças e adolescentes. O projeto, conhecido como "Lei da Palmada", determina que as suspeitas de maus-tratos sejam comunicadas ao Conselho Tutelar de cada cidade. O texto determina aos pais infratores penas socioeducativas e até o afastamento dos filhos.
O projeto especifica que crianças e adolescentes devem ser protegidos do castigo físico "em que há o uso da força e resulta em sofrimento e lesão". No entendimento dos integrantes da comissão, o texto, na prática, proíbe a palmada. Mas a interpretação sobre que tipo de palmada resulta em sofrimento ficará a cargo da Justiça. O projeto agora seguirá para o Senado.
Para o gestor de relações institucionais da Pastoral da Criança, Clóvis Boufleur, "há milhões de exemplos de vida de famílias que mostram ser possível dar um basta à violência". É preciso insistir em formas de educação e diálogo com as crianças e adolescentes sem o uso de castigos corporais ou de tratamento cruel, diz ele. "Os pais devem entender que a violência, em todas as suas formas, é inaceitável."
Ele recorda que o o Brasil é reconhecido como um dos países com legislação mais avançada na área da infância e adolescência. "A distância entre o que é descrito na lei e a realidade de milhões de crianças e adolescentes nos traz hoje para este debate, e nos desafia a sermos mais incisivos na educação e no cuidado sem uso de castigos corporais ou de tratamento cruel ou degradante. A pratica da lei vem acompanhada de convencimento, insistência e paciência", afirma Clóvis.
Como defendia a Dra. Zilda Arns, fundadora da Pastoral da Criança, "quem bate para ensinar, ensina a bater".
(BF)
.Realmente vergonhoso. O Estado se intromete na vida das pessoas, de como educam e disciplinam seus filhos, dentro de um padrão moral, e uma pastoral, que deveria dar o exemplo de repudiar tais violações à liberdade, dá um mal exemplo deste calíbre defendendo a proposta politicamente correta.

.Não é a primeira pastoral que se posiciona contra a liberdade. A PJ está há muito tempo de mãos dadas com o totalitarismo do PT, assim como as CEBs.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Lei da Palmada é aprovada por unanimidade em comissão da Câmara

Clipping Folha.com:

A Lei da Palmada foi aprovada por unanimidade na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira, com o objetivo de reforçar o controle da Justiça sobre casos de violência contra crianças e adolescentes.
A legislação que vigora atualmente, o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), menciona "maus-tratos", mas não especifica quais castigos não podem ser aplicados pelos pais ou responsáveis.
A partir da aprovação, os parlamentares da Casa terão um prazo para se manifestem sobre a necessidade de votação em plenário. Caso a votação pela comissão seja considerada conclusiva, o projeto irá diretamente para o Senado.
O texto do projeto de lei 7.672/2010 foi modificado ontem (13) pela relatora Teresa Surita (PMDB-RR) -- o termo "castigo físico" foi substituído por "agressão física" --, o que não agradou os representantes dos direitos da criança e do adolescente e causou polêmica, adiando a apreciação para hoje.
Após mais um dia de debate, firmou-se consenso em torno da expressão "castigo corporal".
Houve um destaque no texto para que a palavra "sofrimento" fosse suprimida da definição de castigo físico (ação de natureza disciplinar ou punitiva com o uso de força física que resulte em sofrimento ou lesão), mas a sugestão foi negada pela maioria dos deputados.
A Folha apurou que a solução textual de Surita agradou os segmentos envolvidos no debate, que se sentiram contemplados pelo projeto de lei.
As mudanças no texto da relatora teriam sido feitas após reunião da deputada com líderes da bancada evangélica na Casa --desfavoráveis ao uso do termo "castigo", argumentando que o projeto levaria a ingerência demasiada no âmbito das famílias.
Teresa Surita negou que tenha havido discordância entre membros da comissão e da bancada evangélica. Segundo ela, eles "só estavam querendo conhecer o projeto" e contribuíram para aperfeiçoar o texto final.
De acordo com o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), representante dos evangélicos, em nenhum momento a bancada teve o intuito de vetar o projeto.
"Agradeço a relatora por ter melhorado o texto. Agora ficou bonito", disse Feliciano.
Sobre uma possível ingerência da Secretaria de Direitos Humanos na troca dos termos do projeto, que não teria gostado da supressão da palavra "castigo", Teresa Surita afirmou que foram aceitas sugestões de diversas instâncias, como na elaboração de qualquer projeto de lei.

.E você? Vai deixar por menos? O relatório foi aprovado por unanimidade. Está na hora de encarar quem você elegeu e aprovou esse atentado contra a educação brasileira:

Comissão Especial destinada a proferir parecer ao Projeto de Lei nº 7672, de 2010, do Poder Executivo, que "altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, para estabelecer o direito da criança e do adolescente de serem educados e cuidados sem o uso de castigos corporais ou de tratamento cruel ou degradante" - PL767210

Presidente: Erika Kokay (PT/DF)
1º Vice-Presidente: Liliam Sá (PSD/RJ)
2º Vice-Presidente: Eduardo Barbosa (PSDB/MG)
3º Vice-Presidente: Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM/TO)
Relator: Teresa Surita (PMDB/RR)

TITULARESSUPLENTES
PT
Alessandro Molon PT/RJ (Gab. 652-IV)Emiliano José PT/BA (Gab. 481-III)
Erika Kokay PT/DF (Gab. 203-IV)Fátima Bezerra PT/RN (Gab. 236-IV)
Luiz Couto PT/PB (Gab. 442-IV)Marina Santanna PT/GO (Gab. 279-III)
Reginaldo Lopes PT/MG (Gab. 426-IV)1 vaga
PMDB
Fátima Pelaes PMDB/AP (Gab. 416-IV)Gastão Vieira (*) PMDB/MA
Osmar Terra PMDB/RS (Gab. 927-IV)3 vagas
Teresa Surita PMDB/RR (Gab. 250-IV)
1 vaga
PSDB
Andreia Zito PSDB/RJ (Gab. 636-IV)3 vagas
Eduardo Barbosa PSDB/MG (Gab. 540-IV)
Jorginho Mello PSDB/SC (Gab. 329-IV)
PP
Aline Corrêa PP/SP (Gab. 511-IV)Iracema Portella PP/PI (Gab. 924-IV)
Cida Borghetti PP/PR (Gab. 412-IV)Rebecca Garcia PP/AM (Gab. 520-IV)
DEM
Efraim Filho DEM/PB (Gab. 744-IV)2 vagas
Professora Dorinha Seabra Rezende DEM/TO (Gab. 432-IV)
PR
Paulo Freire PR/SP (Gab. 273-III)2 vagas
(Deputado do PSD ocupa a vaga)
PSB
Romário PSB/RJ (Gab. 411-IV)Domingos Neto PSB/CE (Gab. 546-IV)
Sandra Rosado PSB/RN (Gab. 650-IV)Jose Stédile PSB/RS (Gab. 354-IV)
PDT
Sueli Vidigal PDT/ES (Gab. 812-IV)Flávia Morais PDT/GO (Gab. 738-IV)
Bloco PV, PPS
Carmen Zanotto PPS/SC (Gab. 503-IV)Antônio Roberto PV/MG (Gab. 379-III)
PTB
Josué Bengtson PTB/PA (Gab. 505-IV)Celia Rocha PTB/AL (Gab. 301-IV)
PSC
Pastor Marco Feliciano PSC/SP (Gab. 366-III)1 vaga
PCdoB
Alice Portugal PCdoB/BA (Gab. 420-IV)1 vaga
PRB
Vitor Paulo PRB/RJ (Gab. 422-IV)Antonio Bulhões PRB/SP (Gab. 327-IV)
PTdoB
Rosinha da Adefal PTdoB/AL (Gab. 230-IV)1 vaga
PSD
Liliam Sá PSD/RJ (Gab. 434-IV) - vaga do PR

Secretário(a): Saulo Augusto Pereira
Local: Anexo II - Pavimento Superior - Sala 170-A
Telefones: (61) 3216-6276
FAX: (61) 3216-6225

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Mobilização de cristãos de todo o Brasil adia votação de projeto que criminaliza pais que disciplinam filhos

Clipping Julio Severo

Contudo, a votação agora ocorrerá amanhã, dando-nos algum tempo para mais mobilização.

Comentário de Julio Severo: Com sua colaboração, o projeto de lei que o governo e seus aliados tinham como certo uma aprovação hoje foi adiado para amanhã. Portanto, continuemos a pressão.
O que você pode fazer
Telefone ou escreva agora mesmo ao deputado federal do seu estado. Consulte este link para ter o email e telefone: http://www2.camara.gov.br/deputados/pesquisa
Telefone imediatamente para a Frente Parlamentar Evangélica: (61) 3215-5315
A seguir, o texto da Agência de Notícias da Câmara dos Deputados:

Impasse com bancada evangélica adia votação da Lei da Palmada

A votação prevista para esta terça-feira da proposta (PL 7672/10, do Executivo) que proíbe o uso de castigos corporais em crianças e adolescentes foi adiada para amanhã (14), após divergências dos defensores do texto com a bancada evangélica. A matéria, que tramita em caráter conclusivo na comissão especial criada para analisar o assunto, seguirá direto para o Senado se for aprovada.
Parlamentares da bancada evangélica, no entanto, ameaçaram recorrer para que a proposta tivesse de ser votada também no Plenário da Câmara. Os deputados defendem a substituição, no projeto, da expressão “castigo corporal” por “agressão física”. O objetivo seria evitar a ideia de que a lei proibiria qualquer tipo de punição ou limites a meninos e meninas.
A relatora, deputada Teresa Surita (PMDB-RR), em novo substitutivo sobre a matéria, acatou a sugestão dos evangélicos, o que surpreendeu a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e os movimentos sociais que apoiam o texto original.
A reunião da comissão especial será realizada às 14h30, em Plenário a definir.

STJ se desfaz de enfeites de Natal com a justificativa de que o Estado é laico

pargendler.png

Ari Pargendler (foto), presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), determinou a retirada dos enfeites de Natal das instalações da instituição em cumprimento à Constituição segundo a qual o Estado é laico. A informação é do Jornal do Brasil.
Mesmo sendo de caráter administrativo, a decisão poderá no próximo ano servir de exemplo a outras instâncias judiciais e instituições de Estado em geral.
Em 2009, ao assumir a presidência do Tribunal de Justiça do Rio, Luiz Zveiter, que é origem judaica, mandou tirar os crucifixos do prédio da Corte e determinou o fechamento da capela, transformando-a em espaço ecumênico.

.Minha sugestão é que o Ministro Pargendler também mande derrubar a deusa da justiça que se encontra na frente do STJ, pois se o Estado é tão laico quanto ele fala, nada pode representar qualquer tipo de crença. Nem mesmo na justiça (se é que pode-se chamar violação à liberdade religiosa de justiça).

deusajustica.png

.Nenhum congressista se pronunciou a respeito a uma violação da própria história cristã do Brasil?

“Católicas Pelo Direito de Decidir” organização pró-aborto é financiada com dinheiro público

Clipping do Blog do Tiba, da Canção Nova:

O grupo que se auto denomina “Católicas Pelo Direito de Decidir” é uma terrível organização anti-vida que usa a nomenclatura “Católicas” para confundir e enganar as pessoas, visando promover o aborto.

Como já denunciei aqui no blog, estas intituladas ONGs e organizações feministas que visam  a promoção do aborto, são verdadeiros parasitas do Governo e de organismos privados e internacionais, dependendo em tudo de seus recursos financeiros para manter suas agendas pró-aborto. Até porque se dependessem de doações e apoio popular iriam morrer de fome.

Posto abaixo o relatório tirado do próprio site das intituladas “Católicas Pelos Direito de Decidir” sobre sua RECEITA DE DOAÇÕES /2010 e 2009

 

São organizações internacionais aplicando milhões no Brasil com o intuito de promover o aborto,  e o pior, não somente grupos internacionais mas também o próprio Governo Federal, dinheiro de impostos que eu e você pagamos.

Em 2 anos o Governo Federal deu  quase 270 Mil Reais para a organização pró-aborto intitulada “Católicas Pelo Direito de Decidir”,

a prova está na própria prestação de contas do site oficial:http://www.catolicas.org.br/uploads/Auditoria-Catolicas-Parecer2011.pdf

Outra pergunta é: Por que tantas instituições internacionais investem pesado em promover o aborto do Brasil? Você não acha estranho?
A verdade é que não querem só o aborto, querem uma vitória política visando o Controle Populacional: http://blog.cancaonova.com/tiba/2011/10/31/7-bilhoes-no-mundo-e-a-farsa-visando-o-controle-populacional/

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

FHC enrola, mas admite ser favorável à legalização do aborto


FHCaborto.png

.A resposta ocorreu na sabatina Folha/UOL.

.É um tanto contraditória a posição do ex-presidente, que facilitou anteriormente a vida dos abortistas que alegam ter sofrido estupro, via SUS. Presumindo-se que a lei serve justamente para evitar uma conduta, ou como diz o próprio Código Penal, "defender o bem-jurídico", ele é contra a criminalização da conduta mas não é a favor dela? Ora, não vamos nos enganar com conversas fiadas: quem é contra a criminalização do aborto, é porque defende a sua legalização.

.Ocorre que o ex-presidente visivelmente deseja retornar à disputa pelo Planalto, e dizer que é a favor do aborto poderia impedí-lo de uma vez por todas. Portanto, a melhor saída é verdadeiramente ficar em cima do muro, o que ele tem grande histórico em fazer, vide CPMF (que inclusive teve a ousadia de afirmar semana passada no Roda Viva que não era favorável quando governou), reforma tributária e previdenciária, taxa de juros do BACEN e uma MP que assumiu bilhões em dívidas de agricultores com bancos privados (sem o consentimento dos devedores) e as transformou em tributo da forma mais ilegal possível (PESA e Securitização).

Por que não houve preconceito no meu ato de informar a ordenação de Edivandro, o comunista de Chapecó?

Aconteceu e sempre acontecerá, haverá sempre alguém de argumentação pífia que fará o favor de levar a discussão (já perdida) para o lado politicamente correto, a fim de não servir a uma verdade, mas a sua própria verdade. Ocorreu no e-mail que o C.P. de Passo Fundo/RS me enviou:

Quando se quer estabelecer verdades a partir de preconceitos, se passa por cima de tudo, até das pessoas que pensam diferente.

Vamos por partes:

1. Preconceito de minha parte com o jovem Edivandro? Não tenho absolutamente nada contra ele, como pessoa. Em termos de ideologia, não sou o único que discorda, mas a própria Igreja. O Papa Pio XII emitiu, em 1949, através do Santo Ofício (hoje Congregação para a Doutrina da Fé), um decreto contra o comunismo, que prevê, bastante claramente, em forma de perguntas, qual poderia ser o envolvimento de um católico com o comunismo, verbis:

Perguntas.:

1. É permitido aderir ao partido comunista ou favorecê-lo de alguma maneira?

2. É permitido publicar, divulgar ou ler livros, revistas, jornais ou tratados que sustentam a doutrina e ação dos comunistas ou escrever neles?

3. Fiéis cristãos que conscientemente e livremente fizeram o que está em 1 e 2, podem ser admitidos aos sacramentos?

4. Fiéis cristãos que professam a doutrina materialista e anticristã do comunismo, e sobretudo os que defendem ou propagam, incorrem pelo próprio fato, como apóstatas da fé católica, na excomunhão reservada de modo especial à Sé Apostólica?

Resp. (confirmada pelo Sumo Pontífice 30/06):

Quanto a 1.: Não; o comunismo é de fato materialista e anticristão; embora declarem às vezes em palavras que não atacam a religião, os comunistas demonstram de fato, quer pela doutrina, quer pelas ações, que são hostis a Deus, à verdadeira religião e à Igreja de Cristo.

Quanto a 2. Não, pois são proibidos pelo próprio direito (cf. CIC, cân. 1399).

Quanto a 3.: Não, segundo os princípios ordinários determinando a recusa dos sacramentos àquele que não tem a disposição requerida.

Quanto a 4.: Sim.

Portanto, não é algo que simplesmente inventei, e muito menos o fiz para julgar o jovem Edivandro. A formação dele, sim, é a responsável por deixar isso acontecer. Ademais, não há, como muitos afirmam, excomunhão latae sentenciae (a que incorre no momento do seu fato gerador), mas sim uma excomunhão que deve ser pronunciada pela Santa Sé em pessoa, se esta desejar.

Não obstante, o decreto poderia, como prevê o Direito Canônico, ser renunciado, revogado ou tornado inválido, o que não aconteceu até o presente momento, o que, portanto, presume a sua existência, validade e eficácia.


2. Tenho um afilhado que é comunista, mais precisamente filiado no PC do B. Meu amor e carinho por ele são profundos, mas não em matéria ideológica, e ele sabe disso mas também respeita (assim como igualmente é respeitado). Porém, trata-se de uma pessoa que sabe reconhecer os lugares onde praticar a sua ideologia, o que não acontece com o jovem de Chapecó. A Igreja em pessoa rejeita o fato do católico ser comunista, imagine então um sacerdote!


3. Cristo afirmando que "não vinha trazer a paz, mas a espada" não significava que Ele fosse um político, como afirma o C.P. Aliás, Ele mesmo afirmou "dai a Deus o que é de Deus, e a César o que é de César", não podendo a religião ser utilitário da política, como o próprio C.P. foi cúmplice sendo da PJ, que já elegeu alguns deputados e vereadores no RS, entre eles Jefferson Fernandes e Altemir Tortelli.

O Papa Bento XVI esclareceu, antes das eleições, que é dever dos pastores aconselharem os seus fiéis a votarem contra partidos abortistas, como o PT, e também afirmou que aos leigos competem votar em candidatos que tragam o bem comum, e não o bem coletivo. Comunismo tem finalidades essencialmente coletivas, assim ocorre com o PT, PC do B, PSTU e PSOL, da mesma maneira, como explico no meu artigo publicado na Revista In Guardia de dezembro de 2011.


4. Quem tentou passar por cima de pessoas que "pensam diferente" dele (C.P.) mas iguais à Igreja e aos católicos em comunhão com o papa, foi o próprio C.P. Ao me ameaçar de intervenção judicial não só tentou calar, como tentou fugir da discussão, marcada pela sua ignorância teológica, como foi demonstrada no vídeo. O caso de C.P. é bastante comum: jovens que tem preguiça de ler o Catecismo da Igreja Católica, pois ele não defende NENHUMA das posições que eles defendem. Não obstante, desafio ao C.P. de achar fulcro de tudo o que ele falou no e-mail dentro do Catecismo.

Essa figura de "jovem revolucionário" dentro da Igreja está a cada dia dando mais espaço a movimentos que estão verdadeiramente em comunhão com o Papa Bento XVI, cada vez mais preparando a Igreja Católica no Brasil à Jornada Mundial da Juventude de 2013.


5. Muitos não sabem, mas a Igreja possui uma encíclica papal que afirma claramente a posição contra o comunismo, a chamada Divini Redemptoris, escrita pelo Papa Pio XI:

9. Ora, a doutrina que os comunistas em nossos dias espalham, proposta muitas vezes sob aparências capciosas e sedutoras, funda-se de fato nos princípios do materialismo chamado dialético e histórico, ensinado por Karl Marx, de que os teóricos do bolchevismo se gloriam de possuir a única interpretação genuína. Essa doutrina proclama que não há mais que uma só realidade universal, a matéria, formada por forças cegas e ocultas, que, através da sua evolução natural, se vai transformando em planta, em animal, em homem. Do mesmo modo, a sociedade humana, dizem, não é outra coisa mais do que uma aparência ou forma da matéria, que vai evolucionando, como fica dito, e por uma necessidade inelutável e um perpétuo conflito de forças, vai pendendo para a síntese final: uma sociedade sem classes. É, pois, evidente que neste sistema não há lugar sequer para a idéia de Deus; é evidente que entre espírito e matéria, entre alma e corpo não há diferença alguma; que a alma não sobrevive depois da morte, nem há outra vida depois desta. Além disso, os comunistas, insistindo no método dialético do seumaterialismo, pretendem que o conflito, a que acima Nos referimos, o qual levará a natureza à síntese final, pode ser acelerado pelos homens. É por isso que se esforçam por tornarem mais agudos os antagonismos que surgem entre as várias classes, da sociedade, porfiando porque a luta de classes, tão cheia, infelizmente, de ódios e de ruínas, tome o aspecto de uma guerra santa em prol do progresso da humanidade; e até mesmo, porque todas as barreiras que se opõem a essas sistemáticas violências, sejam completamente destruídas, como inimigas do gênero humano.

E Pio XI não parou por aí, deixou um recado para vocês:

80. Mas não podemos pôr termo a esta Carta Encíclica, sem dirigir uma palavra àqueles mesmos filhos Nossos que estão já contagiados ou tocados do mal comunista. Exortamo-los vivamente a que ouçam a voz do Pai que os ama; e rogamos ao Senhor que os ilumine, para que deixem o caminho que os despenha a todos numa imensa e catastrófica ruína, e reconheçam também eles que o único Salvador é Jesus Cristo Senhor Nosso: “porque não há sob o céu nenhum outro nome dado aos homens, pelo qual possamos esperar ser salvos” (At4, 12).


6. Como todo teólogo revolucionário, vocês nos impõem a literalidade de que o "Concílio Vaticano II não foi contra o comunismo". Bom, talvez não no seu teor, mas se dirigiu diretamente nas citações, veja na Gaudium et Spes:

21. A Igreja, fiel a Deus e aos homens, não pode deixar de reprovar com dor e com toda a firmeza, como já o fez no passado (16), essas doutrinas e actividades perniciosas, contrárias à razão e à experiência comum dos homens, e que destronam o homem da sua inata dignidade.

16. Cfr. Pio XI, Enc. Divini Redemptoris, 19 março 1937: AAS 29 (1937), p. 65-106; Pio XII, Enc. Ad Apostolorum Principis, 29 junho 1958: AAS 50 (1958), p. 601-614; João XXIII, Enc.Mater et Magistra, 15 maio 1961: AAS 53 (1961) p. 451-453; Paulo VI, Enc. Ecclesiam Suam, 6 agosto 1964: AAS 56 (1964), p. 651-653.

Veja que não é uma pequena citação, pois ela remete a nada menos do que 41 páginas da encíclica Divini Redemptoris.


7. E o que dizer da Conferência de Aparecida? Muitos documentos remetem ao seu pensamento socialista, que foi repreendido também pelo Papa Bento XVI, em pessoa, no discurso de abertura:

(...) é inevitável falar do problema das estruturas, sobretudo das que criam injustiças. Na realidade, as estruturas justas são uma condição sem a qual não é possível uma ordem justa na sociedade. Porém, como nascem? Como funcionam? Tanto o capitalismo como o marxismo prometeram encontrar o caminho para a criação de estruturas justas e afirmaram que estas, uma vez estabelecidas, funcionariam por si mesmas; afirmaram que não só não teriam tido necessidade de uma precedente moralidade individual, mas também que fomentariam a moralidade comum. E esta promessa ideológica demonstrou-se falsa.

Os fatos o comprovam. O sistema marxista, onde governou, deixou não só uma triste herança de destruições econômicas e ecológicas, mas também uma dolorosa opressão das almas. E o mesmo vemos também no ocidente, onde cresce constantemente a distância entre pobres e ricos e se produz uma inquietadora degradação da dignidade pessoal com a droga, o álcool e as sutis ilusões de felicidade.

As estruturas justas são, como já disse, uma condição indispensável para uma sociedade justa, mas não nascem nem funcionam sem um consenso moral da sociedade sobre os valores fundamentais e sobre a necessidade de viver estes valores com as necessárias renúncias, inclusive contra o interesse pessoal.


.Portanto, não há o que se falar em preconceito, há sim o que se falar em desobediência, e não de minha parte.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Resposta às ameaças judiciais do C.P. de Passo Fundo

Ontem, como muitos sabem, recebi uma ameaça de medida judicial por e-mail, feita por um rapaz de nome C.P. (o nome não iremos divulgar pois o próprio fato já é um atentado à sua honra, porém nós não temos qualquer interesse em atingí-la). O referido me ameaça de muitos crimes como cometer exposição de dados, calúnia e incitação à violência, além de me chamar de manipulador. O conteúdo do e-mail se encontra logo abaixo:

"Boa tarde!
Venho a ti bruno, por constar seu nome como editor chefe da página denominada "Católicos na Política".
Quando se quer estabelecer verdades a partir de preconceitos, se passa por cima de tudo, até das pessoas que pensam diferente. Jesus na sua vida pública, pra não dizer politica, que no fim daria no mesmo, nunca disse que não deveriamos nos ...envolver em lutas sociais, aliás ele o fez diversas vezes. Se nosso amigo Edivandro está seguindo os passos de Jesus e pensa diferente do modelo que vocês pregam, isso não quer dizer nunca não seguir os passos da igreja, mas sim atualizá-la para o povo. Cada lugar é um lugar e é um contexto. Jamais o que se prega totalmente em Roma será pregado aqui no Brasil, precisa de readaptações, se não compreendem isso, jamais compreenderão a realidade em que o povo vive. A igreja não existe para si e sim para um projeto maior que tem Jesus como cabeça e o povo como corpo e não a Instituição eclesial. E por último, gostaria de dizer que é um crime previsto em lei, como calúnia, preconceito por uma causa individual sem relevar a liberdade do outro, o que vocês estão fazendo. Expor uma pessoa publicamente, assim como seus dados, incitando a discriminação e a violência verbal, denigrindo e manipulando. Creio que o melhor que tendes a fazer é retirar esse conteúdo do ar antes que tudo isso se torne uma imensa causa judicial que pode gerar transtornos. Andei olhando o material publicado na página http://catolicosnapolitica.blogspot.com/, e nela está minha foto, não autorizei ninguém a usar minha imagem pra esse fim, me sinto extremamente ofendido, ainda mais para denigrir uma pessoa cujo caráter confio muito, gostaria de pedir a gentileza de um pedido de desculpas público, assim como fizeram a dita cuja campanha, caso contrário consequências judiciais poderão ser tomadas.
Atenciosamente,
C.P."

Após o ocorrido, descobri que até o final do e-mail, ele já havia feito as mesmas ameaças e proferido as mesmas calúnias, inclusive com o MESMO TEXTO, ao meu amigo Alex Brum Machado, como podem ver abaixo e no próprio blog do Cavaleiro do Templo:

 

cppfanonimo.png

E aí C.P.? Vai dizer que não autorizaram seu comentário e sua foto no comentário quando as pessoas verem também? Infelizmente, eu já havia gravado o vídeo antes desse fato com o Alex Brum Machado acontecer, o que é uma pena, pois é uma pessoa que já se expôs publicamente e já consentiu com isso, mas por mera prudência, não publicaremos o nome dele neste blog.

A resposta para ti, caro C.P., é muito clara:

Padre Paulo Ricardo faz estudo profundo sobre a "Lei da Mordaça Gay"

Caminhada CONTRA a liberação da maconha em São Paulo

Recebi por e-mail:

"Caminhada contra a Legalização da Maconha...Pela Vida, que será realizada no dia 17 de dezembro às 10:00 na Av. Paulista em São Paulo.

Destacamos, também, o documento oficial produzido pela Câmara Municipal do Município de Parnaíba (PI) aprovando por unanimidade a Monção de Repúdio a Legalização da Maconha.

Peço a todos que divulguem a todos os seus veículos de comunicação essas importantes informações.

Caso não possam participar da caminhada assistam na televisão ou então acompanhem as notícias pela internet, quanto mais acessos melhor. Lembrem que não podemos permitir que essa droga seja legalizada. Você é responsável pelos seus atos individuais ou coletivos, seja para o bem ou para o mal tudo isso retorna um dia.

A luta é uma só, CONTRA A LEGALIZAÇÃO DA MACONHA, independe de partido político, religião, enfim a luta é por uma sociedade melhor, livre das drogas e seus prejuízos. Pense bem antes de qualquer atitude e não se baseie na atitute dos amigos, seja consciente e pense num mundo melhor.

A cidade de Caxias (RS) foi a primeira cidade do Brasil a conseguir uma monção de repúdio, e a segunda foi Parnaíba. Valorize esta conquista, valorize a vida."

.Aos moradores de São Paulo foi, portanto, marcado um compromisso com o bem comum.

.Repassem.

Abaixo-assinado contra a PL 122, do IPCO

Reproduzo:

"O PLC 122/2006, conhecido com “Lei da Homofobia”, vai entrar novamente em pauta, com o novo texto de autoria da Senadora Marta Suplicy.

O texto foi publicado somente agora, poucos dias antes de sua possível votação, certamente porque os defensores da causa homossexual estão cientes da impopularidade de tal Projeto de Lei, que instala uma verdadeira perseguição religiosa, e coloca num mesmo patamar os direitos dos idosos, crianças e deficientes, e a prática homossexual, que é um vício contrário à Lei de Deus.

Não podemos aceitar que imputem a nós, cristãos, a categoria de discriminatórios, apenas porque obedecemos os Mandamentos. Não podem nos colocar na cadeia por seguirmos nossa consciência.

Precisamos reagir o quanto antes contra esse Projeto de lei.

O Brasil cristão é contra o PLC 122/2006, que está previsto para ser votado no dia oito de dezembro de 2011.

Envie agora a carta abaixo para os senadores e demais secretarias responsáveis, pedindo medidas para que o PLC 122/2006 não seja aprovado."

.Para assinar CLIQUE AQUI!

Revista In Guardia: Edição de Dezembro/2011

Neste mês, imperdível.inguardiadez.png

Para ler, CLIQUE AQUI!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Quanto mais mentiras e ameaças vocês fizerem...

comuparty.png

...mais verdades falaremos de vocês!

Jovem que denunciou comunista de Chapecó é ameaçado pelo próprio

ameacacomuna.png

."Não mude o mesmo computador para postar as coisas por que o endereço de IP é sempre o mesmo daí vai ficar muito fácil pra te encontrar".

."Apenas você precisa aprender a não brincar com coisa séria".

.Pode isso, Arnaldo?

Desmentido boato sobre acordo da CNBB com Marta Suplicy

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

Brasília, 07 de dezembro de 2011

A presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), por fidelidade a Cristo e à Igreja, no firme propósito de ser instrumento da verdade, vem esclarecer que, atendendo à solicitação da senadora Marta Suplicy, a recebeu em audiência, no dia 1º de dezembro de 2011, e ouviu sua apresentação sobre o texto substitutivo para o PL 122/2006.

A presidência da CNBB não fez acordo com a senadora, conforme noticiou parte da imprensa. Na ocasião, fez observações, deu sugestões e se comprometeu com a senadora a continuar acompanhando o desenrolar da discussão sobre o projeto. Reiterou, ainda, a posição da Igreja de combater todo tipo de discriminação e manifestou, por fim, sua fraterna e permanente disposição para o diálogo e colaboração em tudo o que diz respeito ao bem da pessoa humana.

Cardeal Raymundo Damasceno Assis

Arcebispo de Aparecida

Presidente da CNBB

.Gabriel Chalita preferiu não comentar sobre o assunto.

Este editor-chefe foi ameaçado de processo judicial pelo post passado

.Os amigos do garoto de Chapecó não estão nada felizes, e estão agindo contra a liberdade de expressão do blog. Porém, não esperavam que este editor fosse conhecedor da lei, por isso estarei em breve postando meu comentário sobre a absurda ameaça enviada por um rapaz de Passo Fundo que me imputa diversos crimes que sequer cometi, em um post meramente informativo, com a carta dele na íntegra.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Comunista admitido será ordenado em Chapecó

Postado no Facebook de Rafael Rodrigo Ogliari, compartilhado para dezenas de pessoas:

comunachapeco.png

"Não ia dizer nada a respeito, porém minha condição de Católico Apostólico Romano me faz lançar aqui uma denúncia. Nesta imagem eu fiz uma montagem do que achei de Edivandro Luiz Frare.

Ele é diácono e vai ser Ordenado no dia 17 de Dezembro.Realmente um ultraje! Ele se declara abertamente ser Comunista o que é contrário a doutrina da Igreja.

Na imagem vemos ele numa passeada do MST, com camisa do Che Guevara e com a foto do perfil do MSN mostrando o Che e uma frase sua: "El Socialismo es la ciencia del ejemplo".

Como disse um amigo meu para ele: "Ninguém pode ser, ao mesmo tempo, bom católico e verdadeiro socialista" (Pio XI, Encíclica Quadragesimo Anno).

Vejam neste site se alguém tem dúvida a respeito do Comunismo (http://www.saopiov.org/2009/10/decreto-contra-o-comunismo.html).

Liguem na Diocese de Chapecó no telefone (49) 3652-0111 e façam uma denúncia deste seminarista. Tenho certeza que este gasto vai, pelo menos, tentar livrar da Santa Igreja um infeliz auto-demolidor. Ajudem e compartilhe..."

.A diocése de Chapecó é bastante famosa pela presença socialista. QUATRO sacerdotes da diocese declararam em 2010 o seu voto em Dilma Rousself, do PT, em visível oposição ao Santo Padre que reafirmou o papel da Igreja em condenar partidos que defendem a legalização do aborto, em face à correta e corajosa posição da CNBB Regional Sul 1 e de Dom Luiz Bergonzini.

.Os vermelhos de Chapecó: Pe. Ivo Pedro Oro, Pe. Igor Damo, Pe. Domingos Luiz Costa Curta (este coordenador diocesano de pastoral) e Pe. Cleto João Stulp. Conforme CARTA ABERTA.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

A Carta de San José percorre o mundo

Manifesto pró-vida é apresentado no Uruguai, Itália e Filipinas


ROMA, quarta-feira, 30 de novembro de 2011 (ZENIT.org) - Um documento pró-vida batizado de "San Jose Articles" (www.sanjosearticles.org) está se espalhando por vários países. Também conhecido como a "Carta de San José", o manifesto foi apresentado recentemente na Itália, nas Filipinas e no Uruguai.
Os artigos contêm uma série de declarações sobre a inviolabilidade da vida humana e insistem na inexistência em âmbito internacional de um suposto "direito" ao aborto. O documento foi concebido como um auxílio para combater as agências e representantes da Organização das Nações Unidas que continuam proclamando a existência de um tal direito.
O documento foi assinado por um grupo de estudiosos de renome internacional, incluindo Robert George, da Universidade de Princeton (EUA), John Haldane, da Universidade de St. Andrews (Escócia), e Finnes John, da Universidade de Oxford (Inglaterra). O texto também tem o apoio de vários políticos importantes, como a europarlamentar Anna Zaborska e a ex-ministra francesa Christine Boutin, candidata às presidenciais de 2012.
De acordo com a última edição do Friday Fax (23 de novembro) do Catholic Family & Human Rights Institute (C-FAM), a Carta foi divulgada recentemente em Cebu, nas Filipinas, durante o Congresso Nacional das Filipinas para a Vida. A reunião contou com a presença do ex-líder da maioria no Senado filipino, Francisco Tatad, e do arcebispo de Cebu, Dom José Serofia Palma.
"Os artigos de San José têm basicamente a função de combater as falsas alegações de um direito internacional ao aborto, mas também constituem um grande incentivo na luta contra a contracepção e a esterilização imposta de fora", disse Tatad ao Friday Fax.
O Friday Fax publica uma lista “impressionante” de personalidades que lançaram recentemente a Carta no parlamento do Uruguai, incluindo desde parlamentar até jogador de futebol famoso.
O texto também foi lançado no mês passado em Madri, Londres e Estrasburgo, e, no início de novembro, em Roma. Entre os apoiadores há personalidades como Giuseppe Benagiano, professor da Universidade La Sapienza e Secretário-Geral da Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia, e Luca Volontè, líder do Partido Popular Europeu (PPE) na Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Pequena pausa

.Este editor não estará em condições de manter o blog atualizado até o final desta semana, uma vez que estará prestando concurso público no domingo, o que virá a exigir tempo de revisões e estudos.

.Semana que vem estaremos de volta!

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Ratzinger afastou a situação de pena de morte do aborto no livro "O Sal da Terra"

A Igreja, de acordo com o papa, continuará a opor-se com veemência a todas as medidas "que favoreçam, de algum modo, o aborto, a esterilização e também a contracepção". Tais medidas feririam a dignidade do ser humano como imagem de Deus e minariam o fundamento da sociedade. Trata-se, fundamentalmente, de proteger a vida. Por outro lado, por que razão a Igreja ainda não exclui a pena de morte como "direito do Estado", como se diz no Catecismo?

No que diz respeito à pena de morte, quando aplicada de direito, pune-se alguém que é culpado de crimes que se provou serem muito graves, e que também representa um perigo para a paz social; é, portanto, punido alguém que é culpado. No caso do aborto, inflige-se a pena de morte a alguém que é absolutamente inocente. São duas coisas completamente diferentes, que não se podem comparar.

(...) Julgo que abandonamos realmente o fundamento dos direitos humanos se desistirmos do princípio segundo o qual cada pessoal, como tal, está sob a proteção de Deus e, como pessoa, é subtraída à nossa arbitrariedade.

Papa pede eliminação da pena de morte

Clipping: Canção Nova Notícias, por Leonardo Meira

Após a Catequese desta quarta-feira, 30, o Papa saudou as delegações de diversos países participantes de um encontro promovido pela Comunidade de Sant'Egidio com o tema "Não há justiça sem vida".
"Desejo que o encontro possa encorajar as iniciativas políticas e legislativas promovidas por um número crescente de países para eliminar a pena de morte e para continuar os progressos substanciais realizados para configurar o direito penal tanto à dignidade humana dos encarcerados quanto a uma eficaz manutenção da ordem pública", disse o Santo Padre.

.Porém, comenta o Catecismo da Igreja Católica:

"2267. A doutrina tradicional da Igreja, desde que não haja a mínima dúvida acerca da identidade e da responsabilidade do culpado, não exclui o recurso à pena de morte, se for esta a única solução possível para defender eficazmente vidas humanas de um injusto agressor.

Contudo, se processos não sangrentos bastarem para defender e proteger do agressor a segurança das pessoas, a autoridade deve servir-se somente desses processos, porquanto correspondem melhor às condições concretas do bem comum e são mais consentâneos com a dignidade da pessoa humana.

Na verdade, nos nossos dias, devido às possibilidades de que dispõem os Estados para reprimir eficazmente o crime, tornando inofensivo quem o comete, sem com isso lhe retirar definitivamente a possibilidade de se redimir, os casos em que se torna absolutamente necessário suprimir o réu «são já muito raros, se não mesmo praticamente inexistentes» (42)"

42. João Paulo II, Enc. Evangelium vitae, 56: AAS 87 (1995) 464.

.Não podemos dar um juízo acerca da infaliabilidade da declaração do Papa, se essa opinião que ele emitiu foi como homem ou como Romano Pontífice, expressando a doutrina. Certamente vai causar discussões acerca do que seria veramente correto.

.Para que não restem dúvidas, o discurso original em inglês se encontra AQUI na íntegra.

Propaganda do PSDB relembra propaganda e relaciona ratos da corrupção com o PT

.Reitero que este blog não tem qualquer ligação com qualquer partido, embora o exemplo dado pelo PSDB esteja sim de parabéns e deve servir de modelo aos outros partidos de oposição, inclusive aos fisiológicos que mantém sua oposição ao PT nos estados, já que são vítimas da cara de pau de suas presidencias nacionais, sedentas por formações de bases eleitorais com cargos de comissão para seus cabos, lobby e qualquer tipo de safadeza que não condiz com a função pública.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Próximo tema da Parada Gay é "descriminalização do aborto"

mulheresabortistas.png

O ativista Tiago Duque, do Identidade - Grupo de Luta Pela Diversidade Sexual afirma em artigo para o site de fofocas Virgula que o tema se justifica como uma tentativa de minimizar a "dívida histórica com as mulheres, não somente dando maior visibilidade a uma luta anteriormente erroneamente identificada como sendo só delas".

Ele afirma: "alguém acha que isso não tem relação alguma com as experiências de sofrimento dos gays? Quem fez a defesa procurou justificar que, se a resistência em vencer a homofobia é alimentada por questões morais, o aborto também".

.Não acredita? CLIQUE AQUI!

Já para Erick Stronger o tema se justifica em "dar visibilidade às causas que estejam focadas mais na busca por direitos do que na conservadora reivindicação por respeito". Em outras palavras, o respeito é uma coisa de velhos. Ele reitera isso mais adiante: "Vocês já imaginaram se os movimentos sociais ficassem focados apenas em causas reconhecidas como moralmente respeitáveis?".

.Também inacreditável, não é? CLIQUE AQUI E VEJA!

.Ou seja, para os gayzistas do artigo, esqueça tudo o que você acredita sobre moral.

.Inclusive, sim, o sofrimento do homossexualismo, do abortista, da prostituta, todos são resultados da visão moral ocidental que não vê como parte de sua tradição. Mas se formos pensar por este argumento, porque não então vencer a questão moral da pedofilia?

.OUTRA: SERÁ PERMITIDO, ASSIM COMO MARCHAR PELA APOLOGIA ÀS DROGAS, PROTESTAR PELO HOMICÍDIO LEGALIZADO? E NA PESSOA DE CIDADÃOS QUE NÃO TEM INTERESSE DE GERAR UMA OUTRA VIDA?


TÍTULO I
DOS CRIMES CONTRA A PESSOA

CAPÍTULO I
DOS CRIMES CONTRA A VIDA

Aborto provocado pela gestante ou com seu consentimento
Art. 124 - Provocar aborto em si mesma ou consentir que outrem lho provoque:
Pena - detenção, de um a três anos.

Aborto provocado por terceiro
Art. 125 - Provocar aborto, sem o consentimento da gestante:
Pena - reclusão, de três a dez anos.

Art. 126 - Provocar aborto com o consentimento da gestante:
Pena - reclusão, de um a quatro anos.
Parágrafo único. Aplica-se a pena do artigo anterior, se a gestante não é maior de quatorze anos, ou é alienada ou debil mental, ou se o consentimento é obtido mediante fraude, grave ameaça ou violência

Bolsonaro volta à tribuna, mais ponderado, e denuncia o projeto de um novo kit-gay

."Desconstrução da heteronormativide"... A nova sociedade anti-familiar que querem enfiar em nossas goelas.

.Graças ao amigo Cavaleiro do Templo.

Artigo: "Por que a direita brasileira não produz uma Angela Merkel ou um David Cameron?", por Cleber Benvegnú

A direita brasileira já não existe – pelo menos, não dita como tal. Quando mostra suas unhas, quem desponta é Jair Bolsonaro – um estereótipo, um maluquete.

Esse desaparecimento resulta de dois processos simultâneos: o avanço de uma dominação cultural da esquerda junto aos vetores de formação da opinião pública (sindicatos, escolas, imprensa, ONGs, partidos políticos) e a perda gradativa na batalha da comunicação. A direita - falo da direita democrática - em virtude de erros históricos, incompetência e covardia, abriu mão de defender suas próprias bandeiras.

No mundo, é diferente. Tão diferente que a direita acaba de ganhar as eleições na Espanha, assumindo-se como tal – sem tergiversações ideológicas. Ou tão diferente que, na Alemanha, Angela Merkel elegeu-se chanceler sem nunca esconder seu perfil democrata-cristão. Foi considerada a mulher mais poderosa do planeta. Ou ainda tão diferente que o jovem David Cameron (foto), do Reino Unido, vingou através de um partido conservador – que inclusive se chama Conservatives. São apenas três dentre tantos exemplos possíveis.

.Para ler o artigo completo, no blog Senso Incomum, do escritor, CLIQUE AQUI!

Estudantes parodiam globais em vídeo pró-Belo Monte

Alunos de engenharia civil e economia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), defensores da construção da usina de Belo Monte no rio Xingu (PA), produziram vídeo em resposta ao projeto "Gota D'Água", que reúne atores da TV Globo numa campanha contra a instalação da hidrelétrica.

.Isso sim eu posso chamar de BRASILEIROS!